Já ouviu falar da Força Expedicionária Brasileira?

É incomum vermos em livros de história algo da Força Expedicionária Brasileira, possivelmente muitos no Brasil apenas reconhecem o seu ‘’slogan’’ conhecido como ‘’A cobra está fumando’’. Inclusive até esse próprio slogan surgiu de uma ironia, já que poucos acreditavam que o Brasil iria participar de uma guerra, falavam: “Mais fácil uma cobra fumar cachimbo do que o Brasil participar da guerra na Europa”.

O começo da FEB e a entrada na Segunda Guerra Mundial

O Brasil sempre demonstrou uma posição de neutralidade militar  quando existiam problemas externos ao país e quando ocorreu a Segunda Guerra Mundial, nosso país se viu obrigado a entrar na guerra. O presidente Getúlio Vargas quis manter o status de neutralidade e optou por não entrar no conflito, mas não teve jeito, a guerra bateu em nossa porta.

Tudo parecia bem com relação aos comércios em tempo de guerra, até que em 1942, forças militares alemãs atacaram nossos navios mercantes e isso fez com que mudássemos da posição de neutralidade para um posicionamento ofensivo contra as potências do eixo (Alemanha,Itália e Japão).

Assim surge a necessidade de uma força militar específica para combater nazistas e fascistas na 2º Guerra Mundial, forjando assim a FEB, esses soldados são famosos pelo apelido de Pracinhas, termo que surgiu da expressão “sentar praça”, que significa se alistar nas Forças Armadas mas o apelido só era usado naqueles que tinham patente mais baixa na hierarquia militar.

A FEB foi criada em 9 de agosto de 1943 pela Portaria Ministerial Nº 4744, pela necessidade que o Brasil teve de se defender e também de ajudar o eixo. O contingente da FEB chegava a 25.455 homens que foram incorporados ao 5º Exército Americano para atuar junto a eles contra o eixo na Segunda Guerra Mundial.

FEB na guerra contra a Itália

1º Incursão

A primeira incursão da FEB na Itália,foi em setembro de 1944 na retomada do vale do rio Serchio, que até então estava ocupada por soldados alemães. As primeiras vitórias vieram neste mesmo mês, com a retomada das regiões de Massarosa, Camaiore e Monte Prano e na região de Gallicano-Barga, sofreu os primeiros contratempos. A primeira incursão realizada pelos brasileiros possibilitou que os aliados chegassem sem muitos esforços no centro da Itália e no mar Adriático.

2º Incursão e o fim da guerra

As tropas brasileiras atuaram nas regiões montanhosas da Itália entre o fim de 1944 e o início de 1945. A principal batalha travada foi a de Monte Castelo, que durou três meses, dos quais foram efetuados 6 ataques com um número relevante de baixas brasileiras (dos brasileiros morreram 450 praças, 13 oficiais e 8 pilotos).

Quatro dos ataques não tiveram êxito, por falhas de estratégia, mas a batalha chegou a seu fim em 21 de fevereiro de 1945 com a vitória dos aliados, a derrota dos alemães e a tomada de Monte Castello por tropas brasileiras que lutaram bravamente para o sucesso da missão.

Essa grande conquista mostra a garra e coragem do exército brasileiro que mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, estava lá para batalhar pelos seus aliados e ajudar a acabar com o nazimo e com o fascismo.

A matéria acabou mas muita calma nessa hora!

Já pensou em aprender a desenhar do zero, o que você quiser? O curso da Método Fanart já ajudou mais de 100 mil pessoas de todas as idades a realizarem o sonho de aprender a desenhar.

Clique aqui e prepare-se!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: