Você já ouviu falar da civilização fenícia?

Os fenícios eram povos de origem semita situados no território do Líbano, esse povo existiu perto de 3.000 a.C em uma região montanhosa e com poucos lugares para plantio e assim a dificuldade para buscar alimentos foi solucionada com o comércio marítimo e a pesca que é o que deixa essa civilização famosa como ”Mestres da navegação”.

Fenícia – Wikipédia, a enciclopédia livre
Mapa das rotas comerciais fenícias e colônias [Foto: Wikipédia]
As cidades principais dos Fenícios eram Biblos, Sídon e Tiro, onde acabou se criando um lugar estratégico para comércio marítimo já que era possível acessar cidades da África, Ásia e Europa apenas utilizando a costa marítima. A necessidade foi o que tornou esse povo tão bom na navegação e comercialização, para melhorar, o território Fenício era rico em Cedros que forneciam madeira para criação de seus barcos.

Apesar de parecer que eles eram liderados por uma pessoa só na verdade os fenícios eram um conjunto de cidades-estados independentes que era ordenada por uma monarquia hereditária ou por conselhos de anciões. 

Economia

Comerciantes natos, fenícios [Foto: veias da história]
Comerciantes natos, fenícios [Foto: veias da história]
Os fenícios foram os maiores mercadores da época, e sua prosperidade comercial foi imensa afinal eles disputavam territórios de navegação. Inicialmente, mantinham relações comerciais apenas com os gregos, vendendo madeira, escravos, vidro e pó roxo. Essa famosa tinta roxa escura foi amplamente usada pelas elites gregas para colorir suas roupas. O termo fenício vem do grego antigo phoínios, que significa “roxo”.

À medida que o processo de comércio e colonização se espalhava pelo Mediterrâneo, os fenícios e os gregos pareciam, sem saber, dividir o mar em duas partes. Os fenícios navegaram (e eventualmente controlaram) a parte sul do mar, enquanto os gregos continuaram suas atividades na costa norte. As duas culturas se encontraram acidentalmente, por exemplo, na Sicília, que acabou sendo dividida em duas áreas de influência, os fenícios no sudoeste e os gregos no nordeste da ilha.

Os fenícios foram por séculos a principal potência naval e mercantil da região. O comércio fenício foi fundado com base na tinta conhecida como púrpura tíria, uma tinta de um púrpura profundo, derivado da concha do molusco, que anteriormente era encontrado com abundância nas águas costeiras do leste do Mediterrâneo, e que acabou sendo extinta.

Expansão era o sobrenome dos fenícios então suas atividades comerciais seguiram aumentando, os fenícios fundaram diversas colônias que foram utilizadas para serem bases mercantis. É possível achar colônias fenícias em lugares como Chipre, Sicília, Sardenha e sul da Espanha. No norte da África, os fenícios fundaram a importante colônia de Cartago.

Religião

Osíris, um dos muitos deuses que os fenícios acreditavam. [Foto: VulgoBarba]
Os fenícios eram politeístas e, ao longo de sua história, adoraram várias divindades, muitas de culturas vizinhas. A evidência para o segundo milênio AC é Adonis, Ammon, Astarte, Baal Safo, Baalat Gebal (“Senhora de Biblos”), Baal Shemen (consorte de Baalat Gebal), El, Eshmun, Ave, Ísis, Melcarte, Osiris, Shed, o venerável Reshef (Reshef da Flecha), YHWY e Gebory-Kon. No próximo milênio, outros como Chusor, Dagon, Eshmun-Melcarte, Milkashtart, Reshef-Shed, Shed-Horon e Tanit-Astarte foram registrados.

Os fenícios mantinham rituais diferentes, como a prostituição divina e o sacrifício de crianças (principalmente primogênitos) e animais. A maioria dos rituais religiosos eram realizados ao ar livre.

Criadores do Alfabeto

Alfabeto fenicio
Alfabeto fenício. [Foto: InfoEscola]
O alfabeto fenício foi um dos primeiros alfabetos a ter uma forma consistente, formado por 22 letras e que não tinha vogais e o mais curioso é que as 2 primeiras letras eram Aleph e Beth que seria a o começo para criação das vogais A e B. Para que chegasse no alfabeto de hoje, isso foi sendo aprimorado com os Gregos e posteriormente deu origem ao alfabeto latino.

Queda 

Cerco de Tiro
Cerco de Tiro. [Foto: Wikipédia]
Acredita-se que o declínio do povo fenício ocorreu em 539 a.C, com Ciro rei da Pérsia que dividiu a Fenícia em quatro reinos vassalos: Sidon, Tiro , Arwad e Biblos. A influência desse povo foi decaindo e muitos migraram para Cartago e em 332 a.C Alexandre o Grande consquita Tiro no famoso Cerco de Tiro, ele executou pessoas importantes dos fenícios e tomou posse de várias outras cidades.

Após várias influências o povo fenício já estava descaracterizado e já haviam ocorrido várias mudanças que sucederam o trono de Alexandre o Grande mas só em 65 a.C, Pompeu, o Grande juntou o território fenício à província romana da síria. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: